Beraqua
PT | ES

NOTÍCIAS
Seleção de sais orgânicos por múltiplos critérios para nutrição de camarões marinhos

 

 

Bruno Corrêa da Silva

 

Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina-EPAGRI. brunosilva@epagri.sc.gov.br.

 

O Brasil se destaca como terceiro maior produtor aquícola das Américas. Em 2011, a produção de pescados marinhos do país foi de 85.212 t, sendo a carcinicultura responsável por 77%. Contudo, surtos de doenças tem afetado o cultivo de camarões marinhos em vários países do mundo resultando em perdas econômicas. Com isso, cresce a busca por aditivos alimentares capazes de inibir patógenos e promover um melhor crescimento. Por esse motivo, o objetivo deste estudo foi selecionar sais orgânicos com potencial para o uso como aditivo alimentar para o camarão marinho, Litopenaus vannamei.

 

Ao total foram avaliados seis sais de sódio: formiato, acetato, propionato, lactato, butirato e citrato. Primeiramente, foram analisadas a capacidade de inibição dos sais orgânicos contra três cepas de vibrios (Vibrio harveyi, V. alginolyticus e V. anguillarum), principal grupo de bactérias patogênicas para camarões marinhos.  De modo geral, tanto no pH 6 quanto 7, os melhores resultados de inibição contra as três espécies foram obtidos pelo acetato, butirato e propionato (Tabela 1).

 

Tabela 1 – Análise da mínima concentração (%) dos sais orgânicos frente a patógenos de camarões marinhos com valores de pH de 6 e 7.

 

VA pH6 VA pH7 VAL pH6 VAL pH7 VH pH6 VH pH7
Formiato 0,52±0,18 c 2,50±0,00 c 0,63±0,00 c 2,08±0,72 c 0,42±0,18 c 1,25±0,00 c
Acetato 0,16±0,00 d 1,25±0,00 d 0,21±0,09 c 1,25±0,00 d 0,13±0,05 c 0,83±0,36 c
Propionato 0,10±0,05 d 0,63±0,00 e 0,13±0,05 c 0,52±0,18 e 0,13±0,05 c 0,42±0,18 c
Lactato 5,00±0,00 a 10,00±0,00 a 4,17±1,44 a 10,00±0,00 a 5,00±0,00 a 10,00±0,00 a
Butirato 0,13±0,05 d 1,25±0,00 d 0,16±0,00 c 0,31±0,00 e 0,16±0,00 c 0,83±0,36 c
Citrato 1,25±0,00 b 5,00±0,00 b 1,25±0,00 b 5,00±0,00 b 2,08±0,72 b 4,17±1,44 b

VA - V. anguillarum, VAL - V. alginolyticus, VH - Vibrio harveyi.

 

Posteriormente, camarões foram alimentados com dietas suplementadas com 2% de cada sal orgânico durante 14 dias para verificar a contagem de bactérias no intestino. As dietas suplementadas com formiato reduziram a contagem de bactérias totais, enquanto que as dietas contendo propionato e lactato reduziram a contagem de vibrios (Figura 1).

 

Além disso foram realizados ensaios de atratividades destas dietas, comparando-as uma a uma. Este ensaio mostrou que a dieta suplementada com acetato apresentou efeito repulsivo em relação ao controle, enquanto a dieta com butirato apresentou efeito atrativo. As dietas suplementadas com butirato também apresentaram maior atratividade em relação às dietas com lactato e formiato.

 

Figura 1 - Contagem bacteriana intestinal de camarões marinhos alimentados com dietas suplementadas com 2% de diferentes sais orgânicos.

 

Os sais orgânicos também alteraram o consumo e a digestibilidade da dieta. Neste estudo observamos que a suplementação com 2% de propionato e butirato aumentaram o consumo, enquanto o propionato aumentou a digestibilidade de energia e fósforo de dietas comerciais (Tabela 2).

 

Tabela 2 – Porcentagem de consumo diário (%) e coeficiente de digestibilidade aparente (CDA) do camarão marinho, Litopenaeus vannamei alimentado com dieta comercial suplementadas com 2% de sais orgânicos.

 

Tratamento Consumo (%) CDA Matéria Seca (%) CDA Proteína Bruta (%) CDA Energia (%) CDA Fósforo (%)
Controle 2,8±1,1 b 57,13±3,85 71,72±2,64 73,55±2,05 b 12,36±1,61 b
Acetato 3,8±1,0 ab 57,62±1,16 71,93±1,03 73,93±1,03 b 9,93±3,61 b
Propionato 4,3±0,5 a 61,03±3,48 72,91±2,55 79,50±2,26 a 20,91±4,38 a
Butirato 4,0±1,0 a 58,93±2,50 72,95±1,09 73,82±1,60 b 12,49±1,78 b

 

Com esse estudo foi possível verificar que os sais orgânicos possuem boa atividade inibitória contra vibrios patogênicos para camarões marinhos, além de alguns destes aumentarem a atratividade, consumo e digestibilidade de dietas comerciais.  Sendo assim, entre os sais orgânicos avaliados, o propionato e butirato apresentaram maior potencial para ser utilizado na suplementação da dieta de L. vannamei.

 

Agradecimentos

 

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) pelo apoio a bolsa de doutorado e doutorado sanduíche no exterior, e a Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) e o Ministério de Ciência e Tecnologia (MCT) pelo apoio financeiro ao projeto “Bases Nutricionais para o Desenvolvimento de Dietas voltadas para o Cultivo do Camarão Litopenaeus vannamei em Regime Intensivo com Flocos Microbianos e Troca Mínima de Água –FINEP/RECARCINA - 2010-2012”.

 


1 Esse trabalho fez parte da tese de doutorado intitulada “Sais orgânicos como aditivos alimentares para camarões marinhos”, apresentada como requisito a obtenção do título de doutor em Aquicultura, Centro de Ciências Agrárias, Universidade Federal de Santa Catarina. A tese foi orientada pelo Dr. Walter Quadros Seiffert, e co-orientada pelo Dr. Felipe do Nascimento Vieira.

 

» Artigo completo para Download